Carregando ...

Colunistas

0 1373

Ao assistir novelas de época, quem nunca se deparou com a figura do Coronel? Geralmente, os grandes vilões da história. São donos de grandes fazendas, têm capatazes que fazem o trabalho sujo e possuem uma gigantesca influência política na cidade.

A política coronelista foi uma das principais características do sistema político brasileiro no meio Rural. Os coronéis conquistavam poder político usando meios como:

  1. Violência, surras, ameaças físicas, psicológicas e sociais (como perda de emprego e/ou moradia);
  2. Favores entre o coronel e os eleitores;
  3. Fraudes eleitorais. Com a êxodo das áreas rurais para as áreas urbanas, o poder dos coronéis no interior foi sendo, aos poucos, extintos.

A política municipal e o coronelismo gonçalense

Analisando a política gonçalense, podemos notar características desse período. Com uma população estimada em 1.044.058 (um milhão, quarenta e quatro mil e cinquenta e oito) habitantes, não somos, nem de longe, uma cidade pequena. De fato, São Gonçalo é a 16ª maior cidade do Brasil. Em população, ficamos à frente de capitais importantes como Maceió e Natal. Entretanto, mesmo numa cidade de tamanhas proporções, a política ainda é feita por coronéis. Os “donos” dos bairros.

As eleições legislativas em São Gonçalo não são feitas pensando num cenário macro. As propostas não incluem fiscalização das ações do Executivo, corte de despesas, revisão nos gastos com pessoal, nem mudanças na organização administrativa na cidade. Em sua maioria, elas são: asfalto, retirada de entulhos e pequenos reparos dentro dos bairros de origem do candidato. Mais parece uma eleição para ‘síndico’ do bairro que para um cargo que tem, como uma das principais funções, fiscalizar os atos do prefeito, do poder Executivo.

Os políticos ‘donos de bairro’ são conhecidos como salvadores. São eles os responsáveis por promover festas, fazer pequenos reparos, tapar buracos, recolher entulhos e, claro, dar empregos. Afinal, quem não conhece alguém que arrumou emprego falando com alguma figura pública do bairro? Essas pessoas exercem uma enorme influência na vida social do bairro.

Bairro de Alcântara em São Gonçalo – Rio de Janeiro
Alcântara vista de cima. Um dos maiores bairros de São Gonçalo – RJ.

Agora, qual a semelhança com os coronéis?

A violência e as surras já não são mais tão comuns assim. Já a violência psicológica continua. Ameaças de perda de emprego, fim dos tais pequenos reparos, ou seja, fim da quase total representação daquela comunidade perante o poder público.

Já a troca de favores continua presente. Seja num voto em troca de um cargo, por uma lata de tinta ou ainda pior: em troca de 50 reais.

No geral, a população com uma baixa renda média e baixo nível de estudo, vê no político um ‘pai’. Sem nenhuma culpa. Um Estado paternalista é um Estado grande, com forte poder de decisão e influência sobre a vida privada dos indivíduos.

Ao atribuirmos figuras paternas ao Estado, estamos atribuindo-lhe também mais poder, mais dinheiro e, infelizmente, mais corrupção.

Com esse cenário, perpetuam-se na política municipal atual os mesmos figurões de legislaturas anteriores. A situação não muda. E São Gonçalo continua com um dos menores Índices de Desenvolvimento Humano do estado, com 0,739. Niterói, cidade vizinha, tem 0,837 – o melhor do estado e o 7º nacional (IDH 2010).

Existe alguma expectativa de melhora?

Sim. Em todo país, as últimas eleições municipais foram marcadas pela busca de mudanças. Em São Paulo e Belo Horizonte, foram eleitos prefeitos que jamais tinham sido eleitos a cargos público, como João Dória e Alexandre Kalil, respectivamente.

Aqui em São Gonçalo, o antigo prefeito não conseguiu sequer chegar ao segundo turno, sendo esse disputado por dois candidatos que jamais haviam disputados cargos majoritários.

Além disso, tivemos uma boa votação de três jovens candidatos: Diego São Paio, Marlos Costa e Profº Josemar. Apesar de extremamente diferentes entre si, os três usam o discurso de “renovação na política”. E, independe de sua posição no espectro político, nunca precisamos tanto de renovação.

0 482

A direção da câmara de vereadores de São Gonçalo tem faltado respeito com os profissionais de imprensa e com os cidadãos . A nova assistência não vem oferecendo até hoje assentos exclusivos aos profissionais de imprensa, sem falar que os lugares destinados aos portadores de necessidades especiais não estão sinalizados, fazendo com que as pessoas sejam convidadas a se retirar dos assentos pela segurança legislativa . Constrangimento e falta de respeito com os munícipes.

Por Alexandre Costa

0 873

ERITRÉIA CIDADE DOS MEUS SONHOS OU PESADELOS

Depois de um longo tempo em BRASILITRÉIA o repórter de ERITRÉIA está de volta, com mais um episódio

images (1)

Um FUNCIONÁRIO PUTO de ERITRÉIA, foi à assembleia do sindicato “QUERO QUE VOCÊ SE FERRE”, a qual deliberava a CONTINUAÇÃO ou NÃO da greve. Chegando lá, viu uma tremenda confusão, onde uns pediam a para continuar da greve outros não.

Nessa confusão nosso repórter ouviu uma conversa entre funcionários que diziam:

_ há quanto tempo esse sindicato existe?

_ há muito tempo…

_ Algum funcionário já veio candidato a vereador?

_já… Vários.

_E… o sindicato já apoiou algum deles?

_Não. Afinal você sabe como é… O presidente tem seus interesses financeiros.

Segundo as más línguas, o presidente já havia decidido por si só, acabar com a greve.

No pronunciamento do presidente, ele disse que na sexta feira haveria dinheiro na conta.

Na sexta- feira o FUNCIONÁRIO PUTO foi ao banco, para retirar seu suado pagamento parcelado a perder de vista. Mas para seu governo o dinheiro não estava lá. Depois de várias tentativas em retirar seu rico dinheirinho, o FUNCIONÁRIO PUTO, entrou em pânico, passou a mão numa enorme pedra e começou a quebrar o banco.

Acabou sendo preso pela guarda de ERITRÉIA. O pobre homem gritava “não me prenda sou FUNCIONÁRIO PUTO igual à vocês. Ele nos enganou não tem dinheiro nenhum, por favor guarda essas algemas pois se vocês perder, nem dinheiro pra comprar outra, vocês terão.  Vocês tem que prender, é aquele PRESIDENTE MENTIROSO, lá do sindicato QUERO QUE VOCÊ SE FERRE”.

Por Paulo Atocha tocha-em-chamas_318-60287

0 420

Quando leio jornal, assisto TV, navego na Internet ou presto atenção no que as pessoas me dizem, sinto cada vez mais um enfado, um asco mesmo das palavras sempre iguais que são escritas ou ditas, sempre as mesmas expressões, sempre os mesmos adjetivos, metáforas, clichês. O pior é quando escuto a minha própria voz e constato que também eu digo as mesmas coisas gastas e usadas, repetidas, esgotadas pelos milhões de vezes que foram repetidas, então, o silêncio torna-se muito valioso. É um engodo a falácia de que os momentos decisivos da vida em que os rumos mudam para sempre, sejam acompanhados de expectativas, comemorações, uma dramaticidade ruidosa e cara, seguidas de grandes discursos, por isso as festas de posses de governos, comemorações de datas históricas, etc.. Esta é uma prática batida inventada por jornalistas, diretores de televisão, gente ávida por flashes e escritores de “pasquim” de terceira categoria. Na verdade, a dramaticidade de uma experiência importante, decisiva para a vida é de natureza comum, nobre e silenciosa.

Por Valmir Rodrigues Dias

0 1744

Diversos denuncias não param de chegar sobre um esquema entre diversos vereadores de São Gonçalo, e o depósito de carros TRANSGUARD.

Conforme as denuncias diversas sobre pessoas, que retiraram seus carros apreendidos do deposito TRANSGUARD sem pagar nada.

Um relato fala de um carro q esrava a 20 dias apreendido. Então o dono procurou o vereador “L” e obteve total insenção dos dias e roboque. Mas teve q quitar com o Detran.

Outro falou q o vereador “I” articulou a coisa de tal forma, q nem quitar com o Detran precisou. Foi tudo resolvido pela assessoria do edil.

Não se sabe se o conluio entre esses parlamentares gonçalense é generalizado, ou apenas alguns fazem parte do esquema. Não sabemos se apenas com o deposito, ou se envolve gente da Secretaria municipal de Transportes e Detran

O uso politico da TRANSGUARD demostra, uma relação promíscua entre a empresa e políticos, com objetivos eleitorais e clientelismo. Em troca os vereadores não questionam o contrato e os absurdos do deposito, q maltrata e humilha a população pobre da nossa cidade.

Fonte: Na rua com Aloísio Reis

0 485

cabeca-fwCalote é herança de Neilton

Os salários atrasados do servidor municipal será certamente o primeiro desafio de José Luiz Nanci agora que assumiu a prefeitura.  Sem ajuda de fora – União e Estado estão quebrados – ele terá que pedir um voto de confiança aos trabalhadores e, principalmente, mostrar que tinha um projeto para a gestão que prometeu. Além disso, Zé Luiz, como é conhecido, vai precisar oferecer transparência nas contas, sem o que não conseguirá manter a tolerância do funcionalismo que para funcionar precisa do salário.

Serviços essenciais e corte de mordomias em troca do emprego pelo interesse mutuo que embutem, são coisas relativamente fáceis de serem negociadas. Mas convencer alguém a trabalhar sem receber é quase impossível. Auditoria nas contas e revisão nos contratos com prestadores de serviço é uma ação praticamente inevitável nesses casos e será, então, onde   começarão as complicações para o novo prefeito.

As compras da prefeitura quase todas sofrem algum tipo de interferência e alterar as regras quase sempre levanta uma reação que, no caso, sendo um interesse político, pode instalar uma das primeiras crises de governo que Zé Luiz enfrentará. Além de contemplar os seus investidores o prefeito ainda terá que governar com uma Câmara ávida de participação, com cada vereador tendo um ou mais problema para resolver, coisa que conheceu bem e de perto nos seus cinco mandatos na Casa.

A Saúde, calcanhar de qualquer prefeito, é outro enfrentamento difícil para Zé Luiz, irmão do Presidente do Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Casa de Saúde de Niterói e São Gonçalo, Aécio Nanci filho, o Aecinho. Profundo conhecedor do quadro Aecinho já denunciava, no ano passado, o que chamou de “a crise da crise do setor de Saúde” com fechamento de 10 casas de saúde na cidade e diminuição de mais de 1000 leitos, o que aumentou a conta do atendimento pelo Serviço Público.

Levar o ex-prefeito para o tronco parece, assim, no momento, ser a única saída de Zé Luiz que poder[a buscar penitencia para um governo possivelmente de pouca ou quase nenhuma realização importante. Levantar contratações suspeitas, equívocos da administração e até deslizes não deve ser tarefa difícil e o andar da carruagem é que poderá dizer do que é feita a Republica de Monjolos: havendo quem defenda Neilton tem sobrevida. Não havendo…

Com tantas questões para se resolver logo no início de governo a população não deve esperar muito do novo prefeito.  A Família Nanci, que esperou 70 anos para voltar à prefeitura – Aécio Nanci, tio de Zé Luiz, foi nomeado Interventor no período de 22 de dezembro de 1946 a quatro de fevereiro de 1947 – não poderia ter escolhido pior momento.

Versão dos Fatos

O novo prefeito não tem muitas escolhas principalmente depois que a Justiça mandou prender o seu antecessor pelo calote nos salários. Nanci terá que cuidar dos deles e das viúvas de Neilton o mais rápido possível e não será surpresa se vier a propor parcelamento, igual ao Estado. Nesse contexto, ainda, uma ameaça da Justiça seria providencial pelo lastro que daria às ações necessárias. Ela funcionaria como aliada nos conflitos, principalmente os políticos, que o novo governo terá que enfrentar.

Postado por wilian oliveira

0 337
Informo que às 01:27h desta quinta feira, 27/10/2016, a central de operações do 4° Batalhão recebeu vários telefonemas informando que estava ocorrendo disparos de arma de fogo na Av.: Rui Barbosa, esquina com a Rua Pres. Kennedy, no bairro hospitalidade. Informações de que haviam várias pessoas alvejadas no local; relataram ainda que os disparos foram efetuados por aproximadamente 06 (seis) indivíduos que estavam num veiculo de cor prateada ou de cor vermelha. Que havia 03 (três) pessoas encapuzadas e que tomaram rumo ignorado após efetuarem os disparos. De imediato foram acionadas 3 viaturas para o local . Ao chegarem ao local constataram o óbito de 03 (três) indivíduos. Uma quarta vítima foi levada por uma das equipes ao hospital de emergência de Santana, vindo a falecer logo em seguida. Uma equipe do SAMU foi até o local e confirmou os óbitos. As vítimas que morreram no local são: OZIAS LACERDA PINHEIRO, 19 ANOS, endereço: Rua Pres. Kennedy, 937, Hospitalidade; BRUNO CAVALCANTE BRITO, 20 anos, endereço: Av.: Rui Barbosa, S/N, Hospitalidade; JACILDO OLIVEIRA BRITO JUNIOR, 17 anos, endereço: Av.: Rui Barbosa, S/N, Hospitalidade. A vítima que faleceu ao dar entrada no hospital foi ARINALDO ANJOS DIAS, 20 anos, endereço: Av.: Rui Barbosa, S/N, Hospitalidade. As equipes realizaram o isolamento do local. Foi acionado o delegado plantonista. Foram realizadas diligências, com o intuito de localizar os infratores, mas não houve êxito.
A vítima OZIAS LACERDA PINHEIRO, 19, teria passado pelo CESEIN quando menor por envolvimento em ato infracional (informações passadas por familiares)as demais vítimas não tem nada registrado de envolvimento em crimes.
DRPI/4° BPM

1 1246

Uma campanha foi iniciada pelo Grupo Gay Atitude para tentar impedir esses candidatos se reelegerem em São Gonçalo. Polêmica a parte, é uma iniciativa politica que pode ser exemplo, a outros movimentos como o das VANS, o das MULHERES entre outros reivindicatórios.

´POR UMA CÂMARA DE VEREADORES 100% PELA DIVERSIDADE

O momento de dizer NÃO a eles é agora!!

Depois não adianta dizer por mais 4 anos, que existem vereadores Homofóbicos em São Gonçalo. Esses são os candidatos que expressaram homofobia no atual mandato.

#BastaHomofobia
#BastaMachismo
#BastaFundamentalismo

Fonte: Na Rua com Aloísio Reis

POSTS ALEATÓRIOS

0 174
Depois de mais de 70 dias de braços cruzados, os profissionais da rede municipal de educação decidiram ontem encerrar a greve em São Gonçalo....
%d blogueiros gostam disto: