cabeca-fwCalote é herança de Neilton

Os salários atrasados do servidor municipal será certamente o primeiro desafio de José Luiz Nanci agora que assumiu a prefeitura.  Sem ajuda de fora – União e Estado estão quebrados – ele terá que pedir um voto de confiança aos trabalhadores e, principalmente, mostrar que tinha um projeto para a gestão que prometeu. Além disso, Zé Luiz, como é conhecido, vai precisar oferecer transparência nas contas, sem o que não conseguirá manter a tolerância do funcionalismo que para funcionar precisa do salário.

Serviços essenciais e corte de mordomias em troca do emprego pelo interesse mutuo que embutem, são coisas relativamente fáceis de serem negociadas. Mas convencer alguém a trabalhar sem receber é quase impossível. Auditoria nas contas e revisão nos contratos com prestadores de serviço é uma ação praticamente inevitável nesses casos e será, então, onde   começarão as complicações para o novo prefeito.

As compras da prefeitura quase todas sofrem algum tipo de interferência e alterar as regras quase sempre levanta uma reação que, no caso, sendo um interesse político, pode instalar uma das primeiras crises de governo que Zé Luiz enfrentará. Além de contemplar os seus investidores o prefeito ainda terá que governar com uma Câmara ávida de participação, com cada vereador tendo um ou mais problema para resolver, coisa que conheceu bem e de perto nos seus cinco mandatos na Casa.

A Saúde, calcanhar de qualquer prefeito, é outro enfrentamento difícil para Zé Luiz, irmão do Presidente do Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Casa de Saúde de Niterói e São Gonçalo, Aécio Nanci filho, o Aecinho. Profundo conhecedor do quadro Aecinho já denunciava, no ano passado, o que chamou de “a crise da crise do setor de Saúde” com fechamento de 10 casas de saúde na cidade e diminuição de mais de 1000 leitos, o que aumentou a conta do atendimento pelo Serviço Público.

Levar o ex-prefeito para o tronco parece, assim, no momento, ser a única saída de Zé Luiz que poder[a buscar penitencia para um governo possivelmente de pouca ou quase nenhuma realização importante. Levantar contratações suspeitas, equívocos da administração e até deslizes não deve ser tarefa difícil e o andar da carruagem é que poderá dizer do que é feita a Republica de Monjolos: havendo quem defenda Neilton tem sobrevida. Não havendo…

Com tantas questões para se resolver logo no início de governo a população não deve esperar muito do novo prefeito.  A Família Nanci, que esperou 70 anos para voltar à prefeitura – Aécio Nanci, tio de Zé Luiz, foi nomeado Interventor no período de 22 de dezembro de 1946 a quatro de fevereiro de 1947 – não poderia ter escolhido pior momento.

Versão dos Fatos

O novo prefeito não tem muitas escolhas principalmente depois que a Justiça mandou prender o seu antecessor pelo calote nos salários. Nanci terá que cuidar dos deles e das viúvas de Neilton o mais rápido possível e não será surpresa se vier a propor parcelamento, igual ao Estado. Nesse contexto, ainda, uma ameaça da Justiça seria providencial pelo lastro que daria às ações necessárias. Ela funcionaria como aliada nos conflitos, principalmente os políticos, que o novo governo terá que enfrentar.

Postado por wilian oliveira

ARTIGOS SEMELHANTES

sem comentários

Deixe uma resposta