qua. jul 17th, 2019

Um novo momento no Brasil: a importância do apoio à seleção feminina

3 min read
Lorem ipsum dolor sit amet,sed diam nonumy eirmod tempor invidunt ut labore et dolore magna aliquyam erat, At vero eos et accusam et justo duo dolores et ea rebum. Lorem ipsum dolor sit amet, no sea takimata sanctus est Lorem ipsum dolor sit amet. Stet clita kasd gubergren, no sea takimata sanctus est Lorem ipsum dolor sit amet. no sea takimata sanctus est Lorem ipsum dolor sit amet. no sea takimata sanctus est Lorem ipsum dolor sit amet. sed diam voluptua.

Com uma realidade possível ao futebol feminino batendo à porta no país, as 23 representantes brasileiras buscam deixar em campo a trilha para seu fortalecimento

Um vestiário na Espanha, um amistoso diante da Escócia. Marta assume o discurso, fala de representatividade e coloca em palavras a batalha das que lutam pelo futebol feminino dentro das quatro linhas. A emoção toma conta de cada uma delas. Das meninas às experientes que buscam provar dentro de campo que o esforço nunca foi em vão. A cena é real e mostra como vestir a camisa amarela é uma honraria ainda festejada com o máximo de dedicação. Assim, com esse espírito, vão nossas 23 representantes brasileiras para a disputa da Copa do Mundo feminina, que começa dia 7 de junho, na França – o Brasil estreia dia 9 diante da Jamaica. Não chegam em um bom momento como conjunto, mas levam no coração a missão de propagar a modalidade que começa uma nova fase no país. E sabem disso.

A maior cobertura da mídia, a transmissão em TV aberta pela Globo, anunciantes entrando na corrente de divulgação como nunca antes fizeram. Um cenário que não se imaginava há quatro anos quando, em 2015, o Canadá foi a sede do Mundial. A época é de quebrar muros e, por isso, mesmo com a situação atual do Brasil e o rendimento bem abaixo do esperado, é preciso sim que o movimento continue. É preciso que a visibilidade chegue, como está chegando, que a imagem das mulheres no futebol chegue aos olhos de milhões de brasileiros. É importante que amemos, criemos vilões, se for o caso, mas que tenhamos um envolvimento sentimental com a modalidade. Isso faz parte do crescimento.

Vamos aproveitar Marta, Cristiane e Formiga. Vamos curtir suas histórias, seus recordes. A camisa 10 pode chegar ao título de maior artilheira nas Copas entre homens e mulheres – soma 15 gols contra 16 do alemão Klose. Formiga chega a sua sétima Copa do Mundo. Cristiane está em sua despedida de um Mundial. São ícones que muito já fizeram pela Seleção. Elas estarão lá dando a cada torcedor o orgulho da categoria em cada jogada. É por elas e pelas outras 20 jogadoras que devemos torcer. Por essas mulheres que enfrentaram e enfrentam dificuldades, preconceitos, desafios para que uma equipe verde e amarela possa contar com atletas em alto nível. Elas dão continuidade a nomes como Sissi, Tafarel, Pretinha, Fanta e tantas outras que carregaram o futebol em seus corpos. Dão continuidade a uma história de duas medalhas olímpicas e uma decisão de Copa do Mundo. Isso tudo conquistado naquela época sem um incentivo como começou a ser feito atualmente. É para se ter orgulho dessa trajetória.

Boa sorte, meninas! O orgulho é nosso de ter mulheres envolvidas em uma luta tão bonita.

Seleção feminina estreia no domingo na Copa do Mundo — Foto: CBFSeleção feminina estreia no domingo na Copa do Mundo — Foto: CBF

Seleção feminina estreia no domingo na Copa do Mundo — Foto: CBF

#Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.